Enfermagem

Saiba como colocar-se no mercado de trabalho e descubra os detalhes do curso e da profissão de Enfermagem.



O enfermeiro se dedica a promover, a manter e a restabelecer a saúde das pessoas, trabalhando em parceria com outros profissionais — médicos, nutricionistas, fisioterapeutas e psicólogos, por exemplo. Este profissional é indispensável em hospitais, trabalha em clínicas e presta atendimento domiciliar.


Além disso, atua também no atendimento de urgência, emergência e pré-hospitalar, como o SAMU, em casas de parto, no campo da estética, laboratórios e centros de diagnóstico, sistema prisional, entre outros.


Curse enfermagem em uma das maiores universidades do mundo, saiba como...


O profissional da Enfermagem também pode ter o seu próprio consultório, onde realizará ações de prevenção e assistência à saúde, como por exemplo troca de curativos, retirada de pontos, medicação intravenosa, inalação, pré-natal, auxílio à amamentação, entre outros procedimentos.


Dentro de um hospital, seu principal papel é coletar dados sobre o estado de saúde do paciente e definir a conduta a ser seguida pela equipe de enfermagem. Também é responsável pela higiene, alimentação, administração de remédios e pelos curativos.


No campo da saúde coletiva, atua em comunidades, na prevenção de doenças ou fazendo trabalho educativo. Existem ainda atribuições mais complexas dentro desse campo, como realização de consulta de enfermagem, solicitação de exames e prescrição de medicamentos mediante protocolos institucionais estabelecidos. No caso das obstetrizes, que fazem uma graduação específica, estão habilitadas a realizar partos.


Conforme nível de especialização, o enfermeiro pode atuar em campos ainda mais complexos, como assistência ao paciente crítico, realização de passagem de sondas, entre outras. O licenciado é preparado para ministrar aulas teóricas e práticas em cursos profissionalizantes, que formam auxiliares e técnicos de enfermagem.


No site do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN), você encontra nessa seção uma série de informações quantitativas a respeito da profissão, como por exemplo, a média de idade dos profissão, como por exemplo, a média de idade dos profissionais atuantes, o número de enfermeiros registrados no Brasil e até números mais específicos como a quantidade de mulheres e homens enfermeiros. O Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), por sua vez, também disponibiliza alguns dados do quadro nacional da profissão.


Estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a partir de uma iniciativa do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN, divulgado em 2015, mostra que a enfermagem no país é composta por um quadro de 80% de técnicos e auxiliares e 20% de enfermeiros (com nível superior). As mulheres ainda predominam entre os profissionais – elas representam cerca de 85% do total. Em relação à área de atuação, cerca de 60% das equipes de enfermagem encontram-se no setor público, 32% no setor privado e 8% no ensino.


Tipos de curso de enfermagem

Não confunda o curso de graduação de Enfermagem com os cursos técnicos e de auxiliares. O curso para Auxiliar de Enfermagem tem a duração de 1 ano (mais o tempo de estágio) e só solicita previamente a conclusão do ensino médio. Esse profissional estará apto a auxiliar em métodos como higienização, banhos e auxílio na dieta - todos de baixa complexidade.


O curso para técnico de enfermagem pode variar: se o aluno já for formado em auxiliar antes, ele poderá ter de 6 a 7 meses. Caso o aluno decida fazer a graduação casada de auxiliar-técnico, pode durar até 2 anos. Esse profissional já estará apto a realizar processos mais complexos do que o auxiliar, como curativos e aplicação de medicação, aferição de sinais vitais, remoções e primeiros socorros em um Pronto Socorro.


O que você pode fazer

Quais são as áreas de atuação da Enfermagem? A Enfermagem possui dezenas de frentes de atuações. Selecionamos as mais recorrentes, confira:


  • Enfermagem estética: atuar em clínicas de estética, auxiliando em procedimentos faciais e corporais.

  • Enfermagem forense: prestar assistência a vítimas dos mais variados tipos de violência e ajudar em investigações de crimes, auxiliando na coleta de provas e na preservação de vestígios.

  • Enfermagem geral: comandar equipes de técnicos e auxiliares de enfermagem no atendimento a pacientes.

  • Enfermagem geriátrica: atender idosos, doentes ou não, em domicílio, casas de repouso, clínicas e hospitais.

  • Enfermagem médico-cirúrgica: ministrar cuidados pré e pós-operatórios em prontos-socorros, clínicas e hospitais.

  • Enfermagem obstétrica: dar assistência integral a gestantes, parturientes e lactantes durante o pré-natal, parto, pós-parto e nos cuidados com o recém-nascido, além de orientar sobre planejamento familiar. Com a devida especialização, podem realizar partos sozinhas em regiões necessitadas.

  • Enfermagem offshore: prestar atendimento em navios e plataformas marítimas de petróleo a fim de reduzir o risco de acidentes e de disseminação de doenças.

  • Enfermagem pediátrica: acompanhar e avaliar o crescimento e o desenvolvimento da criança. Incentivar o aleitamento materno e orientar os pais quanto às técnicas e aos cuidados com os recém-nascidos.

  • Enfermagem psiquiátrica: ajudar no tratamento de pacientes com distúrbios psicológicos.

  • Enfermagem de resgate: participar do pronto-atendimento em equipes de salvamento de vítimas de acidentes ou de calamidades públicas.

  • Enfermagem de saúde pública: orientar a população sobre a prevenção de doenças e promover a saúde da coletividade. Atender pacientes em hospitais, centros de saúde, creches e escolas. Formar, capacitar e supervisionar os agentes de saúde.

  • Enfermagem do trabalho: dar atendimento ambulatorial em empresas e acompanhar programas de prevenção e manutenção da saúde dos funcionários.

  • Ensino: orientar projetos de pesquisa e ministrar aulas teóricas e práticas.

  • Gestão da qualidade: avaliar e planejar a assistência prestada aos pacientes em hospitais a partir de normas-padrão estabelecidas que envolvem os procedimentos do dia a dia até o uso de materiais e medicamentos. Preparar o hospital para receber certificações internacionais de qualidade.

  • Gestão de projetos: administrar e controlar as atividades destinadas a projetos multidisciplinares, como abertura de uma ala hospitalar ou implementação de um novo protocolo em clínicas ou hospitais.

  • Pesquisa clínica: planejar, implementar e coordenar projetos de pesquisas clínicas, como o desenvolvimento de drogas e estudos genéticos e epidemiológicos, em hospitais, institutos de pesquisa e universidades.


Mercado de Trabalho

Exigências do mercado de trabalho. Uma grande quantidade de recém-formados chega ao mercado a cada ano. Isso pode significar concorrência, se a opção for trabalhar na Região Sudeste, que concentra 54% dos diplomados. Porém, no Nordeste do país, a concentração de enfermeiros é baixa e faltam bacharéis, especialmente nas cidades do interior.


A área de saúde da família está em expansão. O governo federal, por exemplo, mantém um programa com equipes que contam, no mínimo, com um enfermeiro. Também é cada vez mais comum encontrar enfermeiros trabalhando em centros de estética, escolas infantis, laboratórios de análises clínicas, ambulatórios empresariais e em serviços de homecare.


FONTE: Guia do Estudante

ENFERMAGEM. Guia do Estudante. São Paulo, 03 de ago. de 2020. Disponível em: <https://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/enfermagem/>. Acesso em 16 de out. de 2020.


#unip #unipourinhos #ensinosuperior #educaçãoadistância #ead #graduação #enfermagem


17 visualizações

(14) 99890-7000

©2019 por UNIP Ourinhos-SP. Orgulhosamente criado pela LV-SVO